quinta-feira, 14 de outubro de 2010

"Diga não ao Aborto"


Juliana era uma bela menina de apenas 16 anos, com grandes projetos para o seu futuro,  faculdade, um marido legal, filhos e dinheiro. Tudo que a maioria das garotas de sua idade sonham.
Conheceu Sergio quando estava acabando o colegial, e se preparando para o vestibular, como médica  sonhava salvar vidas.
Ela e Sérgio faziam um belo par, todos os elogiavam. Certo dia, para comemorar um ano de namoro os dois foram ao cinema. Na saída começaram com uns amassos quentes dentro do carro, ainda no estacionamento do shopping.
-Para com isso. Aqui não alguém pode ver. – Disse a jovem se livrando dos braços do namorado.
Sérgio arrancou o carro e saiu cantando pneu,  a levou para a beira da praia a luz do luar, dentro  do carro a beira mar, com seus 17 anos Juliana perdeu sua virgindade, presenteando o querido e amado Sérgio. O único problema é que esqueceram a camisinha.
Depois disso os dois transaram várias vezes, no sofá, na cama, no elevador, Porém usaram proteção. Era um casal invejável, até o dia que Juliana ligou para o Sérgio e dizendo estar precisando falar urgentemente com ele. Os dois marcaram e se encontraram.
Decepcionada, Juliana conta o ocorrido:
- Estou grávida e você é o pai, foi meu único homem. E com isso terá que assumir suas responsabilidades!
- Sem chance, tenho uma carreira a concretizar, um filho agora Nemmmmmmm... Pode tirar, eu pago e você tira ou me esqueça. - Resmungou Sérgio.
Juliana não tinha dúvidas, iria tirar o bebê, com isso não perderia seu amor e nem estragaria seus planos para o futuro. No dia seguinte, Juliana foi a uma clínica de aborto e decidiu que faria mesmo aquilo.
(Enquanto ela fazia o aborto o bebê falava)

'' Sou uma menina mais mamãe ainda não sabe. Também não tenho nome mais com tantos nomes lindos por ai minha mamãe vai escolher o melhor deles. Mais enquanto minha hora não chega, eu fico aqui protegida e quentinha dentro da barriga da mamãe. Fico imaginando como minha vida vai ser boa. A primeira coisa que quero, é ver o lindo rosto da mamãe quando eu nascer, espero que eu pareça com ela, mais também quero parecer com o papai. Mamãe sempre me diz que ele é lindo e que tem olhos verdes... Será que terei olhos verdes também?
Eu amo tanto meus pais, mamãe sempre está comigo, mais é lógico, estou na barriga dela. Ela sempre conversa comigo sobre o futuro.
Hoje estou triste porque escutei meus pais brigando. Mamãe chorou muito e eu não gostei. Ela me pediu perdão, dizendo que faria uma coisa muito ruim. Claro que te perdôo mamãe, eu te amo e mesmo sem saber o que vai fazer você é a pessoa mais importante da minha pequena vidinha.
Estamos no médico, acho que ela veio fazer exame de rotina... Está cheio de gente ai fora... (bebê gritando) - MAMÃE O QUE ESTÃO FAZENDO? AI MAMÃE NÃO QUERO SAIR, NÃO ESTÁ NA HORA AINDA, SOCORRO... MAMÃE!
Hoje minha mãe me matou...
Mesmo ela fazendo o aborto, ele não a procurando mais.
Depois do aborto Juliana ficou mal, não sentiu fome, não queria mais viver. Já estava 90% recuperada fisicamente, mas seu psicológico estava acabado. Mesmo em um estado profundo de depressão, ela foi conversar com Sérgio.
Contou que tinha feito o aborto e que estava traumatizada, que aquilo fez muito mal a ela. Disse preferir matar ele que já foi seu amado, do que tirar a vida de seu neném, que não tinha nome e tinha dúvidas quanto ao sexo. Logo depois ela sacou uma arma da bolsa, era um revólver calibre 38, comprado com o dinheiro que o Sérgio deu a mais para manter o segredo quanto ao aborto. Segurando a arma em punho apontou para o peito de Sérgio falando que aquilo tudo é sua culpa.
Apertou o gatilho por três vezes, abalada com o feito cometeu suicídio.
Para finalizar, só tenho a dizer que é isso que o aborto faz... DESTRÓI VIDAS!

Originalmente escrita por   Ana Caroline Cruvinel, editado e finalizado por Maiquel Renck
Acessem: Diga não ao aborto http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=107312046

2 comentários:

  1. Maiquel você tem um dom muito especial.!
    Valeu por divulgar pra mim.!

    ResponderExcluir